QUANTIDADE DE CARGA ENTRANDO NO PAÍS POR PORTOS, AEROPORTOS E FRONTEIRAS SECAS EM 2019
  • Quilos
  • Milhares
  • Milhões
  • Bilhões
 

Do dia 13 a 21 de fevereiro de 2019, Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (RFB) atuaram em inúmeras ações de fiscalização e controle aduaneiro realizadas pelo Órgão, que resultou na apreensão de mais de duas toneladas de cocaína e ainda na retenção de quase 22 milhões de reais em eletrônicos, cigarros, joias e pedras preciosas, entre outros itens.

As apreensões de cocaína ocorreram nos dias 13 (no Porto de Natal/RN), 19 (no Porto de Santos) e 20 (no Aeroporto Internacional de Viracopos). Na primeira apreensão, de duas toneladas de cocaína, a droga estava escondida em cargas de melão que seriam transportadas para a Holanda. Esta foi a segunda maior apreensão de cocaína ocorrida neste mês, no mesmo Porto e ainda com o mesmo destino. Durante a segunda apreensão, de 684 quilos, cujo destino era o porto de Antuérpia, na Bélgica, os servidores encontraram a droga acondicionada em tabletes agrupados em bolsas escondidas em “big-bags” (grandes sacas para acondicionar granéis). A seleção da carga para conferência é resultado da análise de risco baseada em critérios específicos e por meio do escaneamento de contêineres. Já a terceira apreensão, de 63 quilos de cocaína, ocorreu durante a verificação de contêineres com carga para exportação. A droga foi encontrada no interior de bagagens que teriam como destino Lisboa, Portugal.

As retenções realizadas com a atuação dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil, que totalizaram quase 22 milhões de reais, ocorreram na Ponte Internacional da Amizade, no Aeroporto do Recife, em Manaus e também no Mato Grosso do Sul. No dia 13 de fevereiro, cerca de R$ 300 mil em mercadorias foram retidas por estes servidores que pertencem ao Grupo Regional de Vigilância e Repressão (GRVR) da 1ª Região Fiscal, durante operações na BR 463, entre os municípios de Dourados e Ponta Porã.

No dia 14 de fevereiro, os Analistas-Tributários retiveram aproximadamente 60 kg de joias e pedras preciosas e de mais de R$ 40 mil em espécie durante a operação de combate à comercialização ilegal de ouro, em Manaus. Estima-se que o valor total dos bens retidos ultrapasse R$ 16 milhões. A operação teve início com uma investigação da Equipe de Análise de Risco do Serviço de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Alfândega do Porto de Manaus (SEREP), resultando na fiscalização de alguns estabelecimentos comerciais por parte da Receita Federal, da Secretaria de Fazenda do Amazonas (SEFAZ/AM) e também da Polícia Federal. Nesse mesmo dia os servidores da Receita Federal atuaram na retenção de um veículo carregado com grande quantidade de essências para narguilé na PR-486, em Foz do Iguaçu. A mercadoria foi carregada em Guaíra/PR e seria entregue em Maringá/PR. Estima-se que o valor da apreensão ultrapasse R$ 40 mil.

Já no dia 16 de fevereiro, os Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil retiveram mercadorias valoradas em R$ 43.248,77, que foram encontradas em um veículo com eletrônicos na Ponte Internacional da Amizade, em uma ação conjunta com policiais do BPFron e da Força Nacional. Os servidores também atuaram na retenção de aparelhos celulares de última geração avaliados em cerca de 34 mil reais, no terminal de desembarque internacional do aeroporto do Recife, onde o passageiro proveniente de Miami nos Estados Unidos tentava entrar no país com os smartphones ocultos dentro de aparelho de som; e, ainda, de caminhões com contrabando de cigarros do Paraguai, no valor aproximado de 5 milhões de reais.

Acompanhe o trabalho de fiscalização e controle aduaneiro realizado pelos Analistas-Tributários da RFB nas redes sociais do Sindireceita:

Facebook@Sindireceita

Instagram@sindireceita

Twitter@SindireceitaDEN

YouTubeSindireceita DEN